domingo, 30 de março de 2014

Domingo chuvoso

                - Quem está aí?
                Não era ninguém. A chuva e o vento provavelmente derrubaram alguma coisa no quintal.
                “Melhor assim”, pensou. Teria tempo para pensar, gostava de fazer isso em domingos chuvosos.
                Pegou sua xícara de chá, apagou a luz da cozinha e se dirigiu lentamente ao seu quarto. Era um domingo realmente preguiçoso. Sentou-se entre cobertas e travesseiros, fechou mais alguns botões do seu casaquinho velho e pôs-se a observar a chuva pela janela.
                Trazia-lhe uma paz tão grande, esta chuva. Pensou nas pessoas desabrigadas, nos cães abandonados e sentiu um aperto no coração. Mas logo a chuva já havia levado esse aperto embora e lá estava ela, distraída novamente.
                “Queria eu me renovar com essa chuva, parece tão simples. Sempre parece que uma nova fase se inicia quando a chuva acaba. Que gostoso...”
                Sabia diferenciar as gotas que caíam no telhado das que batiam na janela. Sentiu-se leve...
                Terminou de beber seu chá, mas a xícara permanecia quente. Envolveu-a com as mãos e ficou sentada ali por mais alguns instantes.
                Até que percebeu que a chuva estava parando, que o barulho diminuíra e só se escutava a água escoando pelo ralo do quintal.
                Seu telefone tocou.
                - Vamos dar uma volta, amanhã já começa tudo de novo.
                E foi, mas com a sensação de que não pensara em tudo que queria...

Nenhum comentário:

Postar um comentário