terça-feira, 8 de julho de 2014

Confissão sem rima

Perdi o gosto pelas rimas.

Preciso de um bom texto corrido para confessar que estou perdida sem você, meu amor - permita-me que eu chame você assim apenas pelos hábitos, pois também estou perdida sem eles.

Penso tanto em tudo que perdi. E saber que não terei isso novamente me atordoa todas as noites. Mas você sabe: tudo isso, eu escolhi mas não escolhi.

A falta de gosto pela vida tem me deixado cada dia mais frágil, e eu já não precisava explicar a você as minhas fragilidades. Éramos frágeis juntos, o que tornava as coisas mais fáceis de alguma maneira.

Você era complicado, meu menino. Não tive coragem de dizer que eu nunca gostei do que você me pedia. Fazia por amor, por gostar de te fazer feliz. Você merecia tudo, sabe? Mas, de alguma forma (eu sei qual forma), você me lembrava alguém que um dia me magoou. Você não deve ter esquecido: eu nunca mais confiei em ninguém depois de uma fase da minha vida. Talvez seja por isso que eu sempre tive medo de te dizer "não".

Mas o que me corrói de verdade é saber que eu estava infeliz com você. Me dei conta de que eu estava com você por outras razões, as quais já não levavam mais ao amor. Por que continuo infeliz? Porque sei que vai ser impossível amar novamente com a intensidade que te amei. E sinto que vou enlouquecer. Eu sinto falta do companheiro que você foi um dia. Você mudou. Você me mostrou alguém feliz inicialmente, e com o passar do tempo, essa máscara de felicidade deu lugar a... Quem você sempre foi.

Mas eu acostumei tanto a chorar nos seus braços que eu precisava desabafar com você, mesmo que você não leia isso nunca - eu sempre reclamei por você não ler meus textos e poemas.

Espero que você esteja bem, e me amando cada dia menos. O tempo vai tirar essas memórias de nós.

Quanto a mim... Minhas dores continuam. Todas elas. Mas o tempo também resolverá isso.

Cuide-se, meu amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário